Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player




Warning: mysql_fetch_array(): supplied argument is not a valid MySQL result resource in /home/saofi719/public_html/meu_cadastro.php on line 7
Alterar

Warning: mysql_fetch_array(): supplied argument is not a valid MySQL result resource in /home/saofi719/public_html/alterar_cadastro.php on line 8
Nome:
Login:
Senha:
Estado:
Cidade:


banner

banner



banner

banner

banner





Online: 10

Notícias
   
Site











Online: 10
    Data: 13/01/18  às 14:41      

Ex-prefeito Luiz Fenemê divulga nota de esclarecimentos intitulada “Números mostram a verdade”




Quando a atual gestão assumiu a Prefeitura (janeiro de 2017) sabia claramente das dificuldades que passavam todos os Municípios. E ao que parece, o Prefeito não acreditou que a crise existia e nesse período, um ano de governo, em duas oportunidades já demitiu e exonerou todos aqueles que nomeou para cargos comissionados, que diga-se de passagem são indispensáveis à administração pública, deixando neste inicio de ano mais de 300 famílias em situação difícil, pois muitos estarão desempregados e outros, servidores da municipalidade que ocupam cargos comissionados, com renda reduzida, o que é um grande transtorno.

Quando digo que o Prefeito não acreditou na crise é em consequência de uma análise dos números das despesas da Prefeitura no ano de sua gestão 2017 com o último ano da gestão de Luiz Fenemê, ano de 2016. Todos sabem que folha de Pagamento é a maior despesa e o Prefeito deveria começar economizando na folha. Mas não foi isso que fez, confiram:

Em 2016 as Despesas com a folha de pagamentos da Prefeitura foi de R$ 30.628.537,99. Em 2017 todos sabiam que a Prefeitura deveria economizar na folha, mas nada disso aconteceu e a mesma passou para R$ 34.554.945,39, um crescimento de R$ 3.926.407,40, 12,81% superior a 2016. O correto seria a redução de pelo menos 30% do custo da folha e não um aumento de 12,81%.

Em 2016 a administração Luiz Fenemê deixou de pagar ao Fundo de Previdência da Prefeitura, referente ao exercício de 2016 a importância de R$ 460.645,95 referente a parte patronal. Em 2017 a atual Gestão deixou de recolher R$ 2.204.242,61 só da parte patronal de 2017, lembrando que as competências não quitadas no período de janeiro a março foram incluídas em um parcelamento efetuado em Agosto de 2017.

Outra despesa importante que tem o Município é com combustíveis. Em 2016 a prefeitura teve uma despesa de R$ 1.197.027,85. Com um aumento de R$ 376.063,14 (quase 30%) a gestão atual gastou R$ 1.573.090,99.

A Associação Hospitalar Armando Vidal é um caso a parte. A atual administração diz que pegou o Hospital com salários atrasados. Ora, o Hospital era na oportunidade uma entidade privada que era contratada para prestar serviços a Prefeitura e não administrada pela mesma. Ocorre que a atual gestão, em um gesto de certa irresponsabilidade, resolveu assumir a Direção do Hospital Armando Vidal. Para as finanças da Prefeitura uma decisão no mínimo equivocada, pois se já tínhamos dificuldade para arcar com uma despesa de R$ 615.000,00 mensais, como uma Prefeitura que precisava economizar aumentou esta despesa em R$ 275.000,00 e no final do ano teve que reduzir em R$ 112.500,00. Efetivamente a Prefeitura aumentou a despesa com o Hospital em 2017 na ordem de R$ 2.212.167,67, pois teve uma despesa de R$ 9.532.807,32 contra R$ 7.320.644,65 em 2016. Portanto, um aumento de 30,2%.

Certamente que se formos analisar outros números encontraremos mais demonstrações de que os problemas da atual gestão foram criados por ela mesma, pois quando deveria economizar a Prefeitura só com a Folha de Pagamento, com o Hospital e combustível gastou a mais do que em 2016 a importância de R$ 6.514.638,41, valor bem superior ao que deixou de pagar em 2017, no montante de R$ 5.140.853,80.

Falamos de despesas, agora vamos falar um pouco das Receitas da Prefeitura nos anos de 2016 e 2017. Em 2017 a Receita Corrente da Prefeitura foi de R$ 82.312.318,26, a da Saúde foi de R$ 10.966.537,21; em 2016 foram respectivamente de R$ 79.328.347,24 e R$ 9.345.328,67. Portanto, a Receita Corrente da Prefeitura em 2017 foi, sem contar os valores da Saúde, de R$ 2.983.971,02 a mais que em 2016.

Se o atual Prefeito tivesse, pelo menos, não aumentado as despesas com a Folha, com o Hospital e com combustíveis não precisaria ter exonerado os ocupantes dos cargos comissionados, todos eles correligionários do Prefeito que ficam sem o cargo que tanto precisam.

Espero ter esclarecido a todos que o problema maior da falta de recursos da atual gestão não é de responsabilidade da minha Administração. Se alguém tiver alguma dúvida com relação aos números aqui apresentados é só consultar o Portal da Transparência da Prefeitura.

*Luiz Carlos Fernandes Fratani - ex-prefeito de São Fidélis

 

















Copyright © 2001 - 2018  www.saofidelisrj.com.br | Todos os Direitos Reservados.

   empresa responsável Consultoria RP4 & Comunicação   Registro DRT/RJ nº 29740